Dia Mundial da Sepse

CAMPANHA SEPSE 2018

O QUE É SEPSE?

De acordo com o Instituto Latino Americano de Sepse (ILAS), a sepse é um conjunto de manifestações graves em todo o organismo produzidas por uma infecção. É a principal responsável por óbitos dentro de nossos hospitais. O nosso país tem uma das mais altas taxas de mortalidade do mundo pela sepse. Estima-se que 400 mil novos casos são diagnosticados por ano e 240 mil pessoas morrem anualmente.
 
QUEM TEM MAIS RISCO DE ADQUIRIR SEPSE?
Prematuros; crianças abaixo de um ano; idosos acima de 65 anos; pacientes com câncer, AIDS ou que fizeram uso de quimioterapia ou outros medicamentos que afetam as defesas do organismo, pacientes com doenças crônicas como insuficiência cardíaca, insuficiência renal, diabetes; usuários de álcool e drogas e pacientes hospitalizados que utilizam antibióticos, cateteres ou sondas. MAS ATENÇÃO: Qualquer pessoa pode ter sepse.

As condições de saúde mais associadas ao aparecimento de sepse são:
•    Pneumonia
•    Infecção abdominal
•    Infecção renal
•    Infecção da corrente sanguínea (bacteremia)

SINTOMAS DA SEPSE

  • Febre
  • Taquicardia
  • Frequência cardíaca aumentada
  • Dificuldade para respirar ou frequência respiratória aumentada
  • Pressão arterial baixa (hipotensão)
  • Menor quantidade de urina 
  • Alterações neurológicas, que podem ser desde ansiedade e desorientação até confusão mental e perda de consciência.

Caso apresente os sintomas, procure o atendimento médico de Emergência. Quanto mais rápido for o diagnóstico e tratamento, melhores as chances de recuperação para o paciente.   

Clique aqui e assista ao vídeo do paciente sobrevivente de Sepse


ATENÇÃO!

Profissional da Saúde siga o Protocolo de Sepse www.diamundialdasepse.com.br
http://www.ilas.org.br

 

CUIDADOS COM O PACIENTE SOBREVIVENTE DE SEPSE
Na semana em que é feito a alerta sobre o tratamento da Sepse, divulgamos o vídeo do Instituto Latino Americano para Estudos da Sepse (ILAS) sobre os cuidados com o sobrevivente de Sepse. Sepse acontece quando uma infecção se torna grave e faz com que haja uma resposta inadequada com mau funcionamento dos órgãos. A sepse é uma das principais causas de morte em hospitais no Brasil. São mais de 400 mil casos e cerca de 200 mil pessoas sobrevivem.Os sobreviventes de sepse devem ficar atentos pois muitas vezes vão ter novos problemas e podem levar meses ou anos para se recuperar.

Alguns desses problemas são: 

  • Problemas no coração
  • Fraqueza muscular
  • Dificuldades para tarefas do dia a dia como por exemplo: se vestir e tomar banho
  • Novas infecções
  • Dificuldade para engolir
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Tristeza
  • Dificuldade de atenção
  • Dificuldade para controlar doenças crônicas como piora do funcionamento do coração, dos rins, pulmões e dificuldades para respirar

A necessidade de reinternação por causa dessas complicações é frequente, principalmente em pacientes com mais de 65 anos. A causa mais frequente de nova admissão é a infecção. Muitos sobreviventes de sepse apresentam dificuldades para retornar ao trabalho, aos estudos e às suas atividades de lazer. Estratégias adequadas podem ajudar nessa recuperação. É importante que a família ou cuidador estejam estruturados para dar esse suporte.

1º os pacientes e familiares devem se conscientizar sobre as consequências que a sepse pode gerar a longo prazo.

2º os profissionais de saúde, junto com o paciente e familiares, devem planejar a alta como por exemplo: avaliar ajustes de medicações novas e as que o paciente já usava.

3º É necessário ter acompanhamento médico ambulatorial logo após a alta.

4º O paciente deve procurar se fortalecer e iniciar um programa de reabilitação com os profissioais indicados como fisioterapeutas, nutricionistas e fonoaudiólogos, sempre que necessário, para facilitar a volta às atividades habituais.

O paciente deve estar atento para qualquer sinal de novas complicações e precisa buscar ajuda médica se apresentar novos sinais de infecção como aceleração do coração, febre alta, calafrios, fraquezas, pois elas são frequentes em pacientes que tiveram sepse. A recuperação do sobrevivente de sepse pode ser longa e difícil, mas é possível se as estratégias foram seguidas de forma adequada pelas equipes, pacientes e familiares. 

Fique atento às possíveis complicações. Mais informações você pode encontrar no site do ILAS (ilas.org.br) e do Dia Mundial da Sepse. (www.diamundialdasepse.com.br)

Como Chegar Marker

Urgência, emergência,
atendimento ambulatorial e visitas a unidades fechadas (utis)

Rua Vicente Beghelli, 315

pacientes internados, visitantes e acompanhantes

Avenida Presidente Itamar Franco
(antiga Av. Independência), 4000

fornecedores e entregas

Rua Antônio Marinho Saraiva, s/n

Heliponto

Latitude: 21º 46' 862" Sul
Longitude: 043º 21' 887" Oeste

Copyright © 2004 Hospital Monte Sinai. Todos os direitos reservados. Endereço: Av. Presidente Itamar Franco 4000, Cascatinha - Juiz de Fora/ MG CEP: 36033-318 / Telefone: (32) 2104-4455 / (32) 2104-4000

Quality Safaty - Hospital Monte Sinai
Desenvolvido por: Logohandcom2