Especialista internacional falou em evento do Serviço de Hemodinâmica do Monte Sinai

O I Simpósio Internacional de Arritmias do Hospital Monte Sinai, realizado em 21 e 22 de setembro, destacou-se pela participação do médico catalão Josep Brugada, que no início da década de 90 descreveu uma predisposição genética a ataques cardíacos, responsável pela morte súbita em homens jovens. "A presença de dr. Brugada no Simpósio, um nome mundialmente importante, é excepcional. É como se tivéssemos a oportunidade de ver Carlos Chagas falando sobre a Doença de Chagas", observou o médico Maurício Scanavacca, do Incor, que participou da abertura do evento no dia 21, na Estação São Pedro.

Chefe do Instituto de Doenças Cardiovasculares e Pulmonares do Hospital Clinic, na Universidade de Barcelona, Espanha, Josep Brugada e seu irmão Pedro Brugada descreveram a cardiopatia a partir de oito casos de pacientes com morte súbita revertida, nos quais se observou um eletrocardiograma característico. O eletrocardiograma é ponto de partida para o diagnóstico da doença, que pode ser assintomática ou permanecer oculta sob um eletrocardiograma aparentemente normal. O diagnóstico será estabelecido apenas com teste farmacológico.

A Síndrome de Brugada tem grande incidência entre países asiáticos, onde ocorre na proporção de um caso em cada mil habitantes. Em outras regiões do planeta, o mal vitima um em cada cinco mil pessoas. A morte súbita acontece em conseqüência de taquicardia ventricular polimórfica, principalmente em indivíduos em repouso ou durante o sono - razão pela qual a Síndrome de Brugada tem pouca relação com a morte súbita na prática de esportes. Casos já foram identificados no Brasil, mas não há, na América do Sul, registros precisos sobre a incidência da cardiopatia no continente.

Pouco pode ser feito para prevenir a morte súbita na Síndrome de Brugada. Estudos são realizados para tentar identificar pacientes com risco, que podem permanecer assintomáticos por toda a vida. Quando há sintomas, a Síndrome produz taquicardia ventricular ou síncopes, o que caracteriza um paciente de alto risco, no qual deve-se implantar um desfibrilador cardioversor automático. Segundo dr. Brugada, o tratamento com quinidina, fármaco utilizado no controle de arritmias, não previne a morte súbita, mas pode aliviar o número de choques.

Arritmia hereditária, a Síndrome de Brugada é uma doença de transmissão autossômica dominante (presente em todas as gerações de uma família). Entretanto, apenas um a cada três pacientes têm a mutação genética que caracteriza a doença - mutação que leva a uma alteração estrutural dos canais de sódio do coração e provoca esta arritmia ventricular grave. As perspectivas, segundo o dr. Brugada, são de que os estudos sobre todas as anomalias genéticas colaborem para a compreensão da síndrome. Também são importantes as investigações sobre a baixa incidência do problema em mulheres. Não se sabe se elas estão protegidas em função dos hormônios ou de uma estrutura diferenciada do coração.

Monte Sinai está de parabéns

A arquitetura e a estrutura do Hospital Monte Sinai de Juiz de Fora surpreenderam o médico catalão, que visitou as instalações da instituição no bairro Dom Bosco. Ele ficou especialmente impressionado com a separação dos acessos para o público e para o corpo clínico e funcional, que definiu como uma "idéia muito sábia". O chefe do Instituto de Doenças Cardiovasculares e Pulmonares do Hospital Clinic elogiou a capacitação tecnológica do Monte Sinai, o que o habilita a realizar procedimentos de alta complexidade, como no hospital espanhol.

Médico catalão encanta cardiologistas brasileiros

Na noite de 21 de setembro, cerca de 300 pessoas participaram da solenidade de abertura na Estação São Pedro que teve como ponto alto a palestra do dr. Josep Brugada que falou sobre a Síndrome de Brugada. Dra. Ana Claudia Venâncio apresentou dados históricos e um paralelo com a questão da "Morte Súbita", destacando o inovador projeto da Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (Sobrac) que institui o dia 12 de novembro como Dia Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte Súbita. A data está em vias de aprovação no Ministério da Saúde e prevê o lançamento de uma campanha com o tema "Coração na batida certa" e o slogan "Seu coração pode não estar no mesmo ritmo que você". Juiz de Fora terá um dos 50 centros nacionais de coordenação da campanha.

Dr. Maurício Scanavacca e dr. Hélio Brito de Lima Jr. presidiram o Simpósio, cuja abertura foi realizada pelo médico responsável pelo Serviço de Hemodinâmica do Hospital Monte Sinai, que anfitrionou o evento. Ele falou do pioneirismo e importância do serviço, novas técnicas e a importância da gestão que torna a Hemodinâmica do Monte Sinai referência para outros centros.

O curso "Os eletrocardiogramas preferidos do Dr. Brugada", ministrado pelo dr. Josep Brugada, na manhã do dia 22, foi uma oportunidade única para médicos de diversas especialidades constituírem outra leitura desses exames, os mais comuns na especialidade, mas fundamentais no diagnóstico das arritmias. Interativa e muito dinâmica, a didática do médico catalão encantou os mais de 100 participantes do curso.

Como Chegar Marker

Urgência, emergência,
atendimento ambulatorial e visitas a unidades fechadas (utis)

Rua Vicente Beghelli, 315

pacientes internados, visitantes e acompanhantes

Avenida Presidente Itamar Franco
(antiga Av. Independência), 4000

fornecedores e entregas

Rua Antônio Marinho Saraiva, s/n

Heliponto

Latitude: 21º 46' 862" Sul
Longitude: 043º 21' 887" Oeste

Copyright © 2004 Hospital Monte Sinai. Todos os direitos reservados. Endereço: Av. Presidente Itamar Franco 4000, Cascatinha - Juiz de Fora/ MG CEP: 36033-318 / Telefone: (32) 2104-4455 / (32) 2104-4000

Quality Safaty - Hospital Monte Sinai
Desenvolvido por: Logohandcom2