Médica fala sobre importância do Aleitamento

A médica Eliana Martins, pediatra e especialista em Aleitamento do Corpo Clínico do Monte Sinai, participou do programa Pergunte ao Doutor, da rádio CBN Juiz de Fora para falar de Aleitamento, nesta segunda-feira, 6 de agosto. No mundo todo é unificada a Semana Nacional de Aleitamento Materno (#SMAM), comemorada entre 1º e 7 de agosto, com o tema “ Amamentação – a base da vida”. No Brasil, ainda instituiu-se o ”Agosto Dourado”, mês todo dedicado à conscientização da importância da amamentação. 

O jornalista Marcelo Juliani começou a entrevista perguntando se o leite humano funciona mesmo como uma primeira vacina. Dra. Eliana confirmou que proporciona proteção contra as doenças que a mãe já teve. “A criança que mama no peito ela recebe fatores anti-infecciosos que vão estimular a imunoglobulinas que a protegem. Ela dificilmente adoece e se adoece, raramente morre. 

Esclaracendo alguns mitos e verdades do Aleitamento, eles destacaram algumas questões: 

  • Qual o tempo ideal para amamentar?

Segundo a OMS, é que a criança seja alimentada exclusivamente no peito nos primeiros 6 meses de vida. Depois, até dois anos, ou pelo tempo que a mãe e o bebê quiserem, com complementos indicados pelo pediatra. 

  • A quantidade de leite dos primeiros dias é suficiente para o bebê?

Com certeza. A produção ocorre no momento em que o bebê suga. Uma pequena quantidade do leite é armazenada abaixo da aréola (parte redonda da mama) e o restante, produzido enquanto o bebê suga. O recém-nascido tem um estômago bem pequeno e ele vai receber o que ele, de fato, precisa, mas quanto mais ele sugar, mais leite a mãe vai produzir. Importante oferecer uma mama por vez e não ficar trocando a todo instante de seio. Assim, ele recebe o leite do início da mamada com água, proteínas e sais mineirais e do final da mamada, com as substâncias complementares. 

  •  Qual o intervado ideal entre as mamadas?

O bebê deve ser alimentado em livre demanda, a hora que ele quiser. Cada criança faz o seu tempo. O importante é não deixar, durante o dia, que durma por mais de 3 horas. Senão, a mãe deve acordá-lo para mamar.  É folclore dizer que “sono sustenta”. “Não sustenta”, Eliana é enfática, e quando pesar o bebê, a mãe vai ver que ele perdeu peso. 

  •   Tamanho da mama interfere no aleitamento?

Não interfere. Mama pequena ou grande, o que importa é a sucção. Vai ter mais ou menos leite, se o bebê sugar em livre demanda. Ele mama de 8 a 12 vezes,qualquer mãe vai produzir a quantidade eu o bebê precisa, desde que ele sugue a vontade. 

  • O silicone interfere, tem contraindicação à amamentação?

Como o silicone é sobreposto a glândula mamária, não vai interferir. O leite é produzido na glândula, desce pelos canalículos e sai pelo mamilo. O importante é que o bebê abocanhe o mamilo de forma correta (mamilo + aréola) e que a mãe fique confiante. Com silicone ou não, basta que o bebê abocanhe o peito de forma correta para que o leite flua, tranquilamente. 

  • E isso significa que o tipo de mamilo também não interfere na amamentação, certo?

Exatamente. Até porque o bebê não mama mamilo. Ele mama mamilo e aréola. Há mães que acham que não vão amamentar porque não tem o mamilo ou ele é pequeno. O que se orienta é a pega correta em 24 a 48 horas. Pois ele mesmo vai formar o mamilo, já que ele aumenta o tamanho do mamilo dentro da boca, enquanto está sugando. 

  • O leite pode sair antes do nascimento?

É possível. Perto do sétimo mês, se a mulher espreme a mama (o que não é adequado, porque o bebê ainda não nasceu) pode observar o colostro. Mas não é porque uma tem e outra não, que é indicativo de produzir ou não leite. A saída antecipada não é “sinal” de se poder ou não amamentar. 

  • Por que o leite “empedra”?

O leite é um líquido semiplástico. Se fica parado dentro do peito, ele endurece em forma de pedra. Para que ela seja dissolvida na mama, é preciso fazer um toque em cima da pedra, para que seja amolecida e o leite flua outra vez. “A gente sempre inicia a massagem na aréola, para depois atingir o local em que está a pedra. Sem exagerar para que a mama não fique vermelha, no máximo por cinco minutos de cada vez”, explica. 

  • Por isso é que se tem dúvida se amamentar dói? Ou é mito?

São duas coisas diferentes. Quando a mãe diz que amamentar dói, em geral o bebê não fez a abocanhadura correta. Pode ter pegado só o mamilo e isso traz dor.” E a gente não quer que isso aconteça, pois vai mexer com o emocional da mãe, o que pode inibir a descida do leite”, diz Eliana. O outro tipo de dor é quando a mama está muito cheia e aí podem surgir pedrinhas. Com isso, a aréola e o mamilo ficam distendidos e quando o  bebê vai abocanhar não consegue fazê-lo corretamente. Isso gera dor novamente.  

  • Há uma posição correta para amamentar?

O ideal é que mãe e bebê estejam confortáveis e que ele não esteja embrulhado. Que a mãe tire o sutiã, exponha o peito e coloque o bebê de barriga, com a barriga dela. Seja de lado, seja deitada, nos primeiros dias após o parto e, depois numa, poltrona. O rosto do bebê deve ficar de frente para a barriga da mãe e que a cabeça dele não fique torta. É importante que a mãe apóie o pescocinho na prega do cotovelo dela, pois se a cabeça ficar pendente, ele não vai conseguir mamar direito. 

  • Para esclarecer um mito: existe leite fraco? 

Não existe. A verdade é que o leite materno é de fácil digestibilidade. Por isso, ela oferece mais o peito, do que quando dá um leite artificial. É a proteína do leite humano é muito mais fácil de digerir. “Ela brinca que o artificial é para bezerro. Este precisa engordar rápido para ser abatido. O bebê precisa é se desenvolver, para crescer com saúde e inteligente. 

  • E tomar cerveja preta, aumenta o leite?

Não é verdade. Ela é chamada de lactogogo. A mãe acredita tanto que tomar cerveja preta ou canjica que, relaxada, pode achar que dá mais leite. Mas fisiologicamente não funciona. 


•    Dra. Eliana Martins é quem ministra os cursos para equipes assistenciais do Hospital e cursos de Aleitameno para leigos (gestantes e lactantes). Ela é credenciada pela IBLCE (Internacional Board of Lactation Consultant Examiner - Universidade de Virgínia/EUA e Idealizadora e fundadora do Banco de Leite Humano da Prefeitura de Juiz de Fora.

O próximo Curso de Aleitamento do Hospital Monte Sinai acontece no dia 22/9.

 

Se quiser ouvir a entreveista na íntegra, link em: 

https://tribunademinas.com.br/podcast/saude/06-08-2018/pergunte-ao-doutor-aleitamento-materno-agosto-dourado.html

Como Chegar Marker

Urgência, emergência,
atendimento ambulatorial e visitas a unidades fechadas (utis)

Rua Vicente Beghelli, 315

pacientes internados, visitantes e acompanhantes

Avenida Presidente Itamar Franco
(antiga Av. Independência), 4000

fornecedores e entregas

Rua Antônio Marinho Saraiva, s/n

Heliponto

Latitude: 21º 46' 862" Sul
Longitude: 043º 21' 887" Oeste

Copyright © 2004 Hospital Monte Sinai. Todos os direitos reservados. Endereço: Av. Presidente Itamar Franco 4000, Cascatinha - Juiz de Fora/ MG CEP: 36033-318 / Telefone: (32) 2104-4455 / (32) 2104-4000

Quality Safaty - Hospital Monte Sinai
Desenvolvido por: Logohandcom2