Médico do Monte Sinai parte em missão do Ministério da Defesa para atender refugiados

O infectologista Túlio Vieira Mendes, que faz parte do Corpo Clínico do Monte Sinai, está de partida para Roraima , numa missão do Ministério da Defesa em prol de refugiados venezuelanos. Médico da Marinha, ele foi convocado, também por conta da sua especialidade, para compor o apoio que as Forças Armadas Brasileiras dão em termos de logística, acolhimento e atendimento de saúde aos refugiados da Venezuela, em crise humanitária.

A região está em situação de calamidade, recebendo famílias inteiras do país vizinho que chegam em condições precárias de saúde pela fronteira seca com o Brasil, em Roraima, estado que não tem uma infraestrutura capaz de absorver a demanda que cresce a cada mês. A missão já está instalada há algum tempo e Dr. Túlio prevê ficar um mês na região, partindo com um novo grupo médico, de várias especialidades, sendo sua função a de atender aos refugiados que já estão doentes. Ele vai ter uma noção melhor de sua “missão” quando chegar, mas a questão do volume de pessoas afetadas por sarampo e outras doenças infectoparasitárias já é considerada alarmante.

ACNUR, missão pelos refugiados

A ONU tem diversas divisões que lidam com missões humanitárias pelo mundo, caso da FAO – contra a fome -, da Unesco, pela educação e cultura, dentre outras. A que ajuda os refugiados é a ACNUR, na sigla em português (ANHCR, em inglês), e já convocou as comunidades internacionais para ajudar na situação da Venezuela. A organização estima que há 2,3 milhões de venezuelanos vivendo no exterior e mais de 1,6 milhão que deixaram o país desde 2015, 90% deles foram para países da América do Sul. Túlio Vieira Mendes já compôs outras operações semelhantes pela Marinha, inclusive no Oriente Médio – no Líbano, em 2013 -, atendendo os próprios militares. Desta vez, sua prioridade é ajudar à população.

Situação de calamidade na saúde

Já sabe que o principal problema naquela região é o sarampo, mas é grave a situação de desnutrição, que amplia os bolsões de pobreza e vulnerabilidade e que acabam piorando a situação com o aumento de outras doenças infecciosas tanto dos refugiados quanto da população local. Isso acaba agravando os problemas com a malária, leishmaniose e outras doenças infectoparasitárias em pessoas vulneráveis fugindo da fome e da miséria extrema.Más condições de saneamento e outras falhas de infraestrutura agravam a situação, principalmente na saúde.

“A epidemia de sarampo não é culpa dos imigrantes”

Dizer que a reintrodução do sarampo na população brasileira é oriunda da questão dos imigrantes é um grande equívoco, afirma o infectologista. “Se a nossa taxa de adesão à vacinação não estivesse tão ruim, se a taxa de imunização fosse acima de 90%, não teríamos o sarampo de volta no Brasil, por exemplo. Estaríamos protegidos”, garante ele. O trânsito de pessoas entre continentes sem tempo de manifestar sintomas em função da facilidade de deslocamento pela aviação é o que dissemina as doenças, mas a única proteção é a prevenção através de vacinas. A baixa adesão torna qualquer população vulnerável.

Um país de dimensões continentais, como o Brasil, com discrepância de condições sócio-culturais e econômicas torna isso ainda mais complicado. “A causa de não vacinação entre quem mora em centros urbanos ou na região Amazônica é diversa, mas a taxa de imunização é o que torna qualquer região protegida ou vulnerável, não é o episódio de grandes migrações, seja no Brasil ou em qualquer lugar do mundo. É fundamental aderir à campanha atual, especialmente no caso do sarampo, de revacinação”, alerta o infectologista.

Como Chegar Marker

Urgência, emergência,
atendimento ambulatorial e visitas a unidades fechadas (utis)

Rua Vicente Beghelli, 315

pacientes internados, visitantes e acompanhantes

Avenida Presidente Itamar Franco
(antiga Av. Independência), 4000

fornecedores e entregas

Rua Antônio Marinho Saraiva, s/n

Heliponto

Latitude: 21º 46' 862" Sul
Longitude: 043º 21' 887" Oeste

Copyright © 2004 Hospital Monte Sinai. Todos os direitos reservados. Endereço: Av. Presidente Itamar Franco 4000, Cascatinha - Juiz de Fora/ MG CEP: 36033-318 / Telefone: (32) 2104-4455 / (32) 2104-4000

Quality Safaty - Hospital Monte Sinai
Desenvolvido por: Logohandcom2