Off Line Especial: "Speed of Sound"

O cirurgião torácico Marcus da Matta Abreu é o personagem da coluna Off Line especial na série de matérias para preparação da Speed of Sound. Tendo participado de sete das 12 provas do ranking de rua de Juiz de Fora no ano passado, o médico é um entusiasta das corridas, apesar de ter começado a prática, de fato, há apenas dois anos. "Eu sempre gostei de esporte, mas comecei a correr depois de participar de uma prova beneficente do Ascomcer. Naquele dia o objetivo era ajudar o hospital me inscrevendo e participando. Mas eu gostei muito e de imediato procurei o apoio de um grupo de assessoria de corrida. Nunca mais parei", conta.

Para ele, o apoio profissional é fundamental quando se procura uma atividade física, principalmente se o objetivo é ter desempenho competitivo. "É importante ter a assessoria de diversos profissionais para garantir a segurança do que se está fazendo e a qualidade do trabalho". A consultoria serve para qual for o objetivo, por lazer ou para quem quer correr em competição, garante ele. No seu caso, foi proposto um treinamento físico, não só de corrida, mas também de musculação para evitar lesões, visando preparar o organismo para competir cada vez melhor. Além disso, ele conta com o acompanhamento de fisioterapeuta porque tem algumas lesões de coluna e joelho, consequências da prática esportiva ao longo da vida. "Além do preparo muscular, o suporte profissional atualmente é um trabalho preventivo, para evitar novas lesões".

Com uma agenda de trabalho intensa - como professor da Suprema e da UFJF, atuando em três hospitais, HU, HMTJ e no Monte Sinai -, em geral o cirurgião torácico enfrenta procedimentos longos, algumas cirurgias demandando uma tarde ou manhã inteiras. "A atividade física dá condicionamento, ajudando a enfrentar uma rotina, às vezes, desgastante. A prática constante de esporte promove bem-estar, nos deixa mais aptos para as atividades do dia a dia, menos cansados. Além disso, melhora o humor, a qualidade do sono. Tudo isso, contribui como um conjunto que beneficia a prática médica".

 

Isto porque Marcus Abreu não chega a ver a atividade como uma válvula de escape, é mais uma parte de sua rotina, que dá tanto prazer quanto o trabalho. Ele treina seis vezes por semana, de três a quatro, na corrida, duas a três vezes na musculação, visando o reforço muscular para evitar novas lesões. Ele conta que o material de treino fica no carro. Entre cirurgia e outra, entre uma faculdade e outra, faz sua atividade.

Foco nas provas de longa distância

As competições viraram uma constante, mesmo tendo como objetivo inicial só o bem-estar e promoção da saúde. Com o tempo, conta ele, foi querendo atingir objetivos cada vez maiores. Primeiro o foco foi reduzir seu tempo nas provas do ranking e, assim, passou a fazer o maior número possível de circuitos. "Mas descobri que, hoje, meu maior prazer é a distância. Dentro deste período já fiz algumas meia maratonas de 21 km e minha meta atual é me preparar para uma maratona". Toda a rotina atual de preparação, tem como finalidade a primeira prova de longa distância, em 26 julho, na Maratona do Rio, conta ele.

Outra característica dos circuitos de rua que empolgam Marcus Abreu é a socialização que promovem. "Isso é algo realmente fantástico. O clima das provas é muito bom. E foi uma das coisas que me chamou a atenção desde o início. Eu não imaginava tanta gente reunida na UFJF num domingo de manhã. Todas alegres, motivadas, felizes por estarem ali, dispostas a acordar cedo no final de semana para promoção de saúde", relata. "Além disso, fiz muitas amizades. Alguns fazem parte da rotina de amigos que frequentam minha casa, hoje. Saímos juntos, viajamos em turma para participar das provas. Isso é muito gostoso e ainda ajuda a sair um pouco da rotina da medicina". E como em família o entusiasmo é compartilhado, tudo fica ainda mais harmônico. Marcus conta que a esposa, Kelli, que é enfermeira, foi quem o convidou para a primeira corrida. Ela se mantém na prática do esporte e também está se preparando para provas mais longas no mesmo ritmo de treinamento.

"A Speed foi a melhor prova do ranking 2014"

O cirurgião torácico fala também de sua preferência pelo estilo da Speed of Sound no ranking de Juiz de Fora. Ele diz que a considerou a prova mais interessante do ano passado, chamando sua atenção por ser noturna, permitindo correr com menos calor e pelo percurso. Ele destacou a inovação de se fazer uma parte do percurso apenas com iluminação exclusiva da lanterna na testa dos corredores, criando um clima muito especial. E elogiou ainda a presença dos DJs, que inserem música em todo o circuito, incentivando o ritmo da corrida.

Marcus Abreu completa a entrevista elogiando a iniciativa do apoio do Monte Sinai ao apresentar esta prova em 2015. "Acho que o hospital está de parabéns por vários motivos. Toda instituição que trabalha com saúde tem que se preocupar com a promoção de saúde e a pratica da atividade física é o pilar disso, pois motiva outros bons hábitos de vida, como a alimentação saudável e o acompanhamento de profissional de saúde em seu bem-estar. "Para quem trabalha no Monte Sinai é um motivo a mais de satisfação", conclui.

Como Chegar Marker

Urgência, emergência,
atendimento ambulatorial e visitas a unidades fechadas (utis)

Rua Vicente Beghelli, 315

pacientes internados, visitantes e acompanhantes

Avenida Presidente Itamar Franco
(antiga Av. Independência), 4000

fornecedores e entregas

Rua Antônio Marinho Saraiva, s/n

Heliponto

Latitude: 21º 46' 862" Sul
Longitude: 043º 21' 887" Oeste

Copyright © 2004 Hospital Monte Sinai. Todos os direitos reservados. Endereço: Av. Presidente Itamar Franco 4000, Cascatinha - Juiz de Fora/ MG CEP: 36033-318 / Telefone: (32) 2104-4455 / (32) 2104-4000

Quality Safaty - Hospital Monte Sinai
Desenvolvido por: Logohandcom2